05
Jul
11

SPFs preparam greves

Fonte: Jornal da Tarde

Funcionalismo federal prepara greves para o próximo período
04/07/2011

Mais de 30 entidades do funcionalismo federal preparam uma onda de paralisações, greves e protestos em busca de aumentos salariais acima da inflação. Depois de várias audiências com o governo Dilma Rousseff, sem nenhuma das reivindicações atendidas, a Coordenação Nacional das Entidades dos Servidores Públicos Federais (CNESF) avalia ter chegado o momento de os trabalhadores apresentarem a pauta real para o governo.

A entidade convocou para esta terça-feira um dia de mobilização e promete colocar de braços cruzados boa parte do funcionalismo, o que serviria de advertência ao governo. Nessa mesma data, está prevista uma reunião, em Brasília, na qual o governo prometeu dar respostas às reivindicações econômicas da categoria.

“Para mostrar que estamos dispostos a fazer enfrentamento, vamos paralisar os serviços nesse dia de negociação”, afirma Paulo Barela, membro da Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas), que faz parte da CNESF. “Se a resposta do governo não mostrar avanços nas negociações, vamos ter de arregaçar as mangas e ir à luta.”

Nesse caso, segundo ele, o movimento unificado deverá desencadear um processo de greves generalizadas no serviço público federal nas próximas semanas. “Estamos só esquentando as baterias”, diz o sindicalista.

Logo que assumiu, a presidente Dilma prometeu austeridade fiscal e redução das despesas com custeio da máquina pública, o que significa limitar ou não dar reajuste aos servidores públicos federais. Hoje, há mais de 2 milhões de servidores, entre ativos e aposentados. Os porcentuais de aumento reivindicados variam de categoria para categoria e chegam a superar 35%.

A medida representa uma guinada em relação ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que concedeu reajustes generosos ao funcionalismo no ano passado. Tanto que as despesas da União com pessoal cresceram quase 10% em 2010, já descontada a inflação do período.Para o atual governo, agora é hora de o funcionalismo federal assumir a sua parcela de sacrifício para a Nação.

“Que ‘mané’ contribuição o quê?”, reage Artur Henrique, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), entidade também integrante da CNESF. “É por isso que estamos mobilizados e haverá greves e conquistas”. O sindicalista argumenta que a economia brasileira segue bem, o Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer este ano acima de 4%, as empresas estão ganhando mais dinheiro e o governo arrecadando mais.

“O que nós queremos é uma parcelinha do lucro e dos ganhos que tanto os governos federal, estaduais e municipais quanto os empresários estão tendo”, afirma o presidente da CUT.

O movimento do funcionalismo será engrossada pelo setor privado. Desde maio, a CUT programou para a próxima quinta-feira um dia nacional de mobilização em defesa da classe trabalhadora. A central quer envolver todas as categorias profissionais do setor privado e público em torno de uma pauta que tem entre o seu eixo principal os ganhos reais e cláusulas sociais nas campanhas salariais do segundo semestre.

É nesse período que se concentram as campanhas das categorias mais organizadas do setor privado como petroleiros, bancários, eletricitários, metalúrgicos e químicos. A ideia é fazer paralisações nesse dia.

“Nos locais onde for possível fazer paralisação durante todo o dia, será feito. Onde a mobilização tiver força só para meio período ou algumas horas de paralisação, também é válido”, afirma Artur Henrique.

As outras centrais sindicais resolveram seguir a CUT e marcaram para o mesmo dia manifestações nessa mesma linha em todo o País.

Os sindicalistas preveem que deverão pipocar greves no setor privado ao longo de todo este segundo semestre. Para o governo, deverá ser mais uma fonte de dor de cabeça. Além de ameaçar a oferta de produtos, o que poderá pressionar a inflação, as greves comprometem programas considerados importantes.

Uma greve de bancários, por exemplo, teria condições de suspender o funcionamento de agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, essenciais para a concessão de crédito agrícola e financiamentos imobiliários, como os do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’.

Anúncios

0 Responses to “SPFs preparam greves”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


AGENDA

JANEIRO/2014

04 - Reunião das Entidades do Serviço Público, em Brasília/DF

05 - Marcha de Abertura da Campanha Salarial 2014 dos SPFs, em Brasília/DF

06 - Seminário sobre Dívida Pública, em Brasília/DF

07 - Plenária do Fórum de Entidades do Serviço Público, em Brasília/DF

13 - Reunião da CNS, em Brasília/DF

21 - Prazo final para realização das assembleias para eleição de delegados do 28º CONSINASEFE e para discussão da greve

22 a 23 - 120ª PLENA do SINASEFE, em Brasília/DF

NOVO SITE DO SINASEFE-PA

Vídeos

Fotos

Julho 2011
D S T Q Q S S
« Jun   Ago »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

Diretoria Executiva – Biênio 2013/2015 – Gestão Ação e Luta

Coordenação Geral
Antônio Vitorino de Morais
Acácio Tarciso Moreira de Melo
Carlos Alberto Nobre da Silva

Secretário Geral
Cledson Nahum Alves

Secretário Adjunto
Luiz Otávio Monteiro Barroso

Tesoureiro Geral
Waldemir Gonçalves Nascimento

Tesoureiro Adjunto
Bartolomeu José de Barroso Junior

Secretário de Formação Política e Sindical
José Maria Cardoso Sacramento

Secretario de Imprensa e Divulgação
Maria Grings Batista

Secretario de Assuntos Legislativos e Jurídicos
Valderino Assunção Souza

FALE CONOSCO

TWITTER

Estatísticas do Blog

  • 71,892 Visitantes

Acessos no dia de hoje

política

%d bloggers like this: